Eu recomendo...

Eu recomendo…

NOVOS CONTOS DE MONTANHA, de Miguel Torga

– Teresa Santos, unha das nosas lectoras da Biblioteca de Monção, que participa dende o comezo nos nosos intercambios literarios –
– Teresa Santos, na Biblioteca Municipal de Monção –

O meu escritor de eleição é Miguel Torga, pseudónimo de Adolfo Correia Rocha. É um autor com uma produção literária muito vasta e variada. Nasceu em S. Martinho da Anta, no concelho de Sabrosa, distrito de Vila Real, em 1907, tirou o curso de Medicina na Universidade de Coimbra, onde viveu e veio a falecer em 1995.

A sua obra traduz uma rebeldia contra as injustiças e o abuso de poder e em 1940 chegou a estar preso por ter criticado o franquismo, na sua obra “A Criação do Mundo”.

Criou o seu pseudónimo “Miguel” em homenagem a dois grandes vultos da cultura Ibérica: Miguel de Cervantes e Miguel Unamuno e “Torga” refere-se a uma planta brava da montanha, que deita as suas raízes fortes sob a aridez da rocha e tem um caule retilíneo.

Miguel Torga foi o primeiro autor a receber o prémio Camões, o mais importante galardão literário da Língua Portuguesa, em 1989, e ainda o prémio Vida Literária, em 1992. Foi um autor prolífico, publicou mais de cinquenta livros, ao longo de seis décadas, sendo várias vezes indicado para o prémio Nobel da Literatura.

O meu livro preferido é Novos Contos da Montanha, uma coletânea de vinte e dois contos germinados na montanha, como ele próprio diz no seu prefácio dirigindo-se ao leitor: “Escrevo-te da montanha, do sítio onde medraram as raízes deste livro”, com textos narrativos e histórias que testemunham os espaços e as gentes da memória de infância e adolescência do autor, onde destaco o Alma Grande, o Leproso, Festa e Natal. Este último, ainda este ano dei a ler a alunos do 8º ano, como preparação para a celebração do Natal e eles adoraram conhecer a história do velho Garrincha, personagem rústica, armado em patriarca bíblico.  Todas as personagens destes contos transmitem mensagens e valores, capazes de transformar uma realidade localizada, numa realidade universal, por isso aconselho a sua leitura, cujos textos brotam da terra, segundo o seu autor.





Miguel Torga

S. Martinho da Anta, Vila Real, 1907

Miguel Torga, é probablemente un dos autores máis queridos da literatura portuguesa, tan clásico como contemporáneo, rebelde e reivindicativo, unha das mellores formas de achegarse á súa figura é visitar, online ou presencialmente, o Espaço Miguel Torga que nos dá un paseo pola súa vida e a súa obra dun xeito exquisito.

Curiosamente foi unha intervención decisiva na obra dunha das nosas autoras intercambiadas, Sophia de Mello, con quen sempre mantivo unha profunda amizade e admiración.

CONTOS DA MONTANHA… E NOVOS CONTOS DA MONTANHA

Incluídas ambas as obras no Plano Nacional de Leitura 2027 portugués, creado co especial obxectivo de fomentar a leitura na poboación xuvenil, esta serie de contos de Miguel Torga, son un descubrimento privilexiado para calquera idade. O primeiro volume, Contos da montanha, viu a luz en 1941 de forma moi breve, pois foi obxecto de prohibición inmediata pola policía política, circulando clandestinamente ou noutras latitudes ata que en 1968 foi de novo publicado en Coimbra, con un prefacio do propio autor que é unha obra literaria de gran valor en si mesma. Pola súa banda, Novos contos da montanha, foi publicado por primeira vez en 1944 e é unha das obras máis aclamadas deste autor, conformado por 22 contos sobre personaxes en aparencia sinxelas que nos fan profundizar naquilas cuestións fundamentais do ser humano.

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *